segunda-feira, 13 de abril de 2009

Fundamentos da Saúde Coletiva

1.5 DETERMINANTES SOCIAIS DA SAÚDE

Conjunto de todos os fatores que não podem ser classificados como componentes genéticos ou agressores físicos, químicos e biológicos.

a - Fatores socioeconômicos
b – Fatores sociopolíticos
c – Fatores socioculturais
d – Fatores psicossociais

1 - Fatores socioeconômicos

Segundo Renaud (apud Rouquayrol, 2003), os pobres:

- são percebidos como mais doentios e mais velhos;
- são de duas ou três vezes mais propensos a enfermidades graves.
- permanecem doentes mais amiúde.
- morrem mais jovens;
- procriam crianças de baixo peso, em maior proporção;
- sua taxa de mortalidade infantil é mais elevada.

2 – Fatores sociopolíticos

Condicionantes:
- instrumentação jurídico-legal;
- decisão política;
- higidez política;
- participação consentida e valorização da cidadania;
- participação comunitária efetivamente exercida;
- transparência das ações e acesso à informação.

3 – Fatores socioculturais

Condicionantes:
- passividade diante do poder exercido com incompetência ou má fé;
- alienação em relação aos direitos e deveres da cidadania;
- transparência irrestrita, para profissionais da política, da responsabilidade pessoal pelo social;
- participação passiva como beneficiários do paternalismo de estado ou oligárquico;
- incapacidade de se organizar para reivindicar.

4 – Fatores psicossociais

Condicionantes:
- marginalidade;
- ausência de relações parentais estáveis;
- desconexão em relação à cultura de origem, falta de apoio no contexto social em que se vive;
- condições de trabalho extenuantes ou estressantes;
- promiscuidades;
- transtornos econômicos, sociais ou pessoais;
- falta de cuidados maternos na infância;
- carência afetiva de ordem geral;
- competição desenfreada;
- agressividade vigente nos grandes centros urbanos;
- desemprego.







2 – EPIDEMIOLOGIA E INDICADORES DE SAÚDE

2.1 Definição de Epidemiologia

Ciência que estuda o processo saúde-doença em coletividades humanas,(...) propondo medidas específicas de prevenção, controle, ou erradicação de doenças(...).(Rouquayrol,1999)

Vigilância Epidemiológica
Art.2° da Lei 6.259/75
“A ação de vigilância epidemiológica compreende as informações, investigações e levantamento necessários à programação e à avaliação de medidas de controle de doenças e situações de agravos à saúde”.

Lei 8.080/90
“Um conjunto de ações que proporciona o conhecimento, a detecção ou prevenção de qualquer mudança nos fatores determinantes e condicionantes de saúde individual ou coletiva, com finalidade de recomendar e adotar as medidas de prevenção e controle das doenças e agravos.”

Utilização da Epidemiologia

- Investigação etiológica
- Determinação de riscos
- Aprimoramento na descrição de quadro clínico
- Determinação de prognósticos
- Uso nos serviços de saúde: vigilância epidemiológica, estudos de situação de saúde, investigações etiológicas e avaliações dos serviços , ações e programas de saúde vigentes.

2.2 – Definições epidemia, endemia e pandemia

Epidemia: ocorrência de doença em grande número de pessoas ao mesmo tempo.

Endemia: ocorrência coletiva de uma determinada doença que, no decorrer de um largo período histórico, acometendo sistematicamente grupos humanos distribuídos em espaços delimitados e caracterizados, mantém a sua incidência constante. Permitidas as flutuações de valores, tais como as variações sazonais.

Pandemia: é considerada uma epidemia de grandes proporções, que se espalha por vários países e a mais de um continente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário